Geração Z vai para o campo comandar fazendas
18/09/2022 12:17 em Novidades

Divulgação

André Rotta tem 21 anos e já está responde por parte da gestão da fazenda

 

@PortalJacyOn                            JacyOnProdutosDigitais

 

Conheça André Rotta, 21 anos, do Grupo Rotta, em Sapezal (MT), sucessor que na gestão compartilhada da propriedade vem promovendo mudança de cultura nos negócios da família

Vera Ondei

 

 

Millennials não, geração Z ou centennial, os nascidos entre 1995 e 2010 em um mundo hiperconectado, por isso chamados nativos digitais, também estão no campo e são eles que começam a tomar decisões na gestão das fazendas, algo que até pouquíssimo tempo atrás estava exclusivamente nas mãos dos mais velhos. É o caso de André Rotta, de 21 anos, um dos herdeiros do Grupo Rotta, de Sapezal, município mato-grossense a 500 quilômetros de Cuiabá, onde está um dos maiores PIBs agrícolas do país, com sua economia fortemente baseada em algodão, soja, milho e pecuária.

De um ano para cá, André está assumindo a gerência de duas áreas da comercialização. Ele começou com a compra de parte dos insumos para a fazenda e vai assumir agora a venda das safras. “Muitas famílias vão enfrentar essa mudança de geração, e é preciso passar segurança para a empresa”, diz ele.

O Grupo Rotta produz soja para semente em 12 mil hectares, mas já fez em 14.000. Na safra encerrada, foram produzidas 150 mil sacas de 40 quilos de sementes, e nas próximas a meta é ir para 250 mil sacas. Nas últimas safras, o grupo também tem intensificado a área de algodão, com previsão de cultivar 1.400 hectares no ciclo 2022/23. Além disso, há um confinamento com capacidade estática para 5.000 mil bovinos, que em dois giros de engorda entregam quase 10.000 animais prontos para o abate.

André é a quarta geração de sulistas que foram para o centro-oeste do país “fazer a vida”, com o pai Arilson e o avô Wilson Francisco Rotta, de 64 anos, além do tio Alisson. A família ainda conta com a figura emblemática do bisavô, de 92 anos, de Dois Vizinhos (PR). Chegaram a Sapezal, município de 25 mil habitantes, e começaram a plantar antes de André Maggi, o fundador da cidade e da Amaggi, um dos maiores grupos agrícolas do país. “Nós compramos as terras do Maggi, mas ele ainda não plantava na região quando meu avô começou”, diz André Rotta.

Divulgação

Família Rotta está na quarta geração em Mato Grosso, desde que saiu do Rio Grande do Sul

André divide com mais dois primos o atual momento de ter nas mãos uma maior relevância nos negócios do grupo. Ele afirma que o plano é se tornar uma empresa que não tenha o foco de agricultura familiar “e sim transcender e se consolidar de maneira empresarial para não depender tanto da família e a administração se tornar um processo natural”. André pensa na perpetuidade do trabalho feito até aqui pelas gerações passadas. “Numa família pode haver problemas e isso leva uma empresa a se desmanchar de modo muito fácil. Uma empresa mais corporativa fica protegida e nesse processo é que a gente está caminhando”, afirma.

Não por acaso, ele é estudante do curso de gestão financeira. Mas escolheu o modo online para continuar na fazenda. André é fruto das modificações irreversíveis provocadas pela pandemia de Covid-19, pelo menos no seu caso. “A pandemia me forçou a essa mudança quando saí de Cuiabá e voltei para Sapezal”, diz. No início de 2019, André estava no terceiro semestre do curso de engenharia agronômica. “Não progredia no modo online, então decidi sair da agronomia e mudei de curso, para gestão comercial. Quando o curso voltou a ser presencial, em Cuiabá, tranquei de novo”.

Ele conta que não queria mais se afastar da fazenda, mas não se arrepende da trajetória porque o tempo de gestão comercial lhe trouxe ensinamentos na área de serviços. “A ideia de estudar e ficar na lida é exatamente o que prefiro, mesmo o atual curso de dois anos sendo para tecnólogo”, diz André, que já colocou na agenda a aposta de uma pós graduação em comércio exterior. Suas escolhas vão ao encontro do que mostra um estudo da Nielsen, onde 89% dos representantes da geração Z disseram que podem optar por não ir à faculdade e enxergam um caminho menos convencional na educação como uma boa ideia.

Angústias e apegos de uma geração

Mas as angústias de uma geração tão nova estão pelo caminho e nas reflexões de André. “Não vejo tantos jovens participando dessa maneira que eu estou trabalhando. Então, me sinto às vezes deslocado, ou às vezes feliz por estar saindo um pouco na frente”, diz. Ele conta que só consegue conversar sobre negócios com pessoas mais velhas  e faz falta ter relações mais estreita com seus pares de geração Z. “É difícil ter contato com pessoas da minha idade, com esse tipo de vivência, mesmo sendo Sapezal uma cidade com ambiente totalmente do agro.” Ele acredita que uma saída seria a criação de grupos de troca de ideias, mas não arrisca que caminho traçar para construir essa rede de relacionamentos. “Parece que tem uma certa resistência ainda ao realmente muito novo”, afirma.

Divulgação

Silos e lavoura ao fundo no Grupo Rotta, em Sapezal (MT)

A conquista do espaço de trabalho no grupo familiar veio pelos acertos de mudanças na gestão, propostas por André, que, claro, divide as honras com os dois primos na administração, sendo um deles “com muito talento para as questões ambientais”. Quando André voltou a Sapezal, ele conta que havia problemas nos processos administrativos, comerciais e de gestão. Foram as conversas em família que pavimentaram as tomadas de decisões mais acertadas e André dava sugestões que se mostraram adequadas para o momento.

“Quais são os critérios para se fazer se eles não existiam?”, pergunta ele. “Consegui fazer coisas que me deram segurança, com o auxílio de pessoas mais velhas do nosso escritório. Foi bom, porque resolvemos problemas de uma maneira perto do que poderia ser excelente.”

O Grupo Rotta vende a maior parte de sua produção para traders e um pouco diretamente no mercado interno. “Nós não tínhamos uma estrutura de progressão no travamentos dos preços. Era feito mais impulsivamente e assim a gente não ficava blindado”, afirma André, que acredita nos acertos pontuais em sucessão, dando firmeza e fluidez nos negócios.

De braços dados com o digital

Para acertar, André, com o consentimento da família, foi em busca de profissionais experientes. Hoje, a Solinftec faz parte das soluções que são encontradas para os desafios da fazenda. A empresa é uma das maiores em soluções digitais no país, com 11 milhões de hectares geridos em tempo real e com um banco de 3,7 trilhões de dados coletados por ano.

O engenheiro agrônomo Bruno Pavão, gerente comercial de grãos e fibra da Solinftec, é o responsável pelo time que acompanha o André e que monitora as operações do grupo. “O André foi o responsável por levar toda a parte de tecnologia Solinftec para dentro do Grupo Rotta”, diz Pavão. “Eles são fortes em cotonicultura e são referência na região. Conseguimos mostrar muito retorno na parte operacional, como a redução de combustível; com toda a gestão do tempo de paradas das equipes e também na parte de gestão dos “fardos de algodão” com o CDA (certificado digital para o algodão) que rodamos na última safra colhida.”

Divulgação

Cultivo de algodão vem se mostrando um caminho acertado para o grupo

O grupo foi pioneiro no desenvolvimento da aplicação desta solução junto à Solinftec, que tem como regra desenvolver todas as soluções em parceria com o cliente. “A tecnologia faz parte da gestão do André. Ele quer ter cada vez mais informações da produção nas mãos e os processos estão cada vez mais rápidos e integrados”, afirma Pavão. “André está focando muito em qualidade operacional e obtendo informações, por exemplo, sobre custos desnecessários.”

Foco é uma característica de personalidade desse centennial de uma roça cada vez mais digitalizada. E não é de hoje. “Quando era criança, chorava quando meu pai não me levava para a lavoura”, diz André. “Então, parte da minha formação de agro foi brincando com o pessoal do campo, que me chamava de sombra, de segurança, porque ficava atrás do meu pai.” Ele se enxerga como uma figura quieta, que só “ouvia muito o que as outras pessoas tinham para falar”.

Mas isso não tira de cena o que caracteriza sua geração, que segundo especialistas em comportamento – além das já citadas – tem foco na responsabilidade social e ambiental e são adeptos do pensamento lógico. O mais recente projeto na agenda é com a Solobio, empresa de biotecnologias agrícolas. O grupo vai produzir defensivos biológicos em uma biofábrica, replicando fungos e bactérias que protegem as lavouras de pragas e doenças.

“Estamos startando esse projeto de montagem dessa fábrica, uma das primeiras de Mato Grosso que a Solobio faz, de modelo com laboratório e armazenagem”, afirma André. A produção será para o consumo das lavouras, tornando o grupo autônomo em biológicos, e vai se tornar mais uma fonte de negócios. “Conversamos muito com o Alber Guedes, CEO da Solobio, para entender a inovação dessa tecnologia em que você recebe a biofábrica pronta na propriedade”, diz ele. “Tenho certeza, hoje, que a melhor solução é fazer biológicos on farm. Esse é um caminho sem volta para a empresa.”

O trabalho integrado das gerações da família Rotta vêm chamando a atenção na região. Em janeiro deste ano, o grupo realizou seu primeiro dia de campo e vai repetir o feito no início de 2023. Cerca de 300 pessoas compareceram, o que é considerado um evento gigantesco para uma região de grandes propriedades. “Sapezal tem 25 produtores. Recebemos produtores até da Bahia”, conta André. “O próximo queremos fazer ainda maior, para 600 pessoas, convidando as multinacionais com as quais trabalhamos a genética da semente que produzimos e, claro, queremos a Solinftec e Solobio juntos.” André pretende criar uma mini feira agronômica na fazenda, porque não há esse tipo de evento em Sapezal, como acontece em Campo Novo do Parecis, município a 100 quilômetros. Neste ano, a Parecis SuperAgro, realizada em março, reuniu 5.000 pessoas.

Leia Também : Quem pode usar o 5G no Brasil? Veja a lista dos celulares compatíveis e como utilizar

Wallace Siqueira creci 16845 Rj  Corretor De Imóveis  Online

Parceiro Comercial Imobiliárias Construtoras & Incorporadoras Conceituadas

Lançamentos Na Planta   Imóveis Residenciais & Comerciais Prontos

São Paulo-Capital       Vitória-Capital          Vila Velha -Guarapari-Es

Rio De Janeiro-Capital    Macaé- Búzios-Rj

Brasília-Capital          Balneário Camboriú-Sc

wallacesiqueira.siqueira@gmail.com  zap 22-99904-6088

Zap 22 999046088  Wallace Siqueira Corretor De Imóveis Creci 16.845 Rj  Vende em Macaé Rj Centro Prédio Comercial Estilo Vintage Pronto 10 Andares  4.200m2 área útil 84 Unidades Sendo 78 Suítes(14m2) + 6 Salas Administrativas  2 elevadores restaurante lavanderia salão de eventos na cobertura recepção e área free Térrea 300m2   R$16Milhões 

VideosPersonalizados                                           

O Brasil é o segundo país com o maior número de visualizações em plataformas de vídeos. São 11 bilhões de visualizações mensais e 96% dos usuários consomem este conteúdo. Ou seja, há um público interessado nesse material e você precisa conquistá-lo. O consumidor com dúvidas não compra, ainda mais se for produtos que não estimulam o impulso, como eletrodomésticos. Por possuírem alto valor agregado, o usuário pesquisa muito antes para comprá-los. Nesse caso, ter vídeos para esclarecer dúvidas certamente ajuda no processo de compra. Os materiais audiovisuais ainda impactam muito no engajamento dos visitantes do site. De acordo com o Media Post, o tempo por sessão em sites com vídeos aumentam 127%. Mais tempo na página do site com o seu produto, maior a probabilidade de comprá-lo.         Quaisquer que seja sua atividade, seu perfil de negócio, etc, será necessário, nos dias atuais e futuros, digitalizar seu modelo de comunicação para que alcance o maior número possível de pessoas. Uma ferramenta essencial para alavancar seus objetivos que vem consolidando-se nas plataformas digitais são os vídeos, que podem ser assistidos em todos os dispositivos disponíveis. VideosPersonalizados cria, harmoniza e personaliza quaisquer conteúdos. Compartilhe Essa Publicação  

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
JacyOnWebRadioSite